Open Banking: O que é?

Dificilmente você encontrará uma instituição financeira que aceite seu cliente fazer parte de outra. Com o Open Banking isso é possível!

Essa inovação conhecida como Open Banking incentivará o surgimento de novos modelos de negócios, proporcionando experiências significativas para seus clientes. Dessa forma, favorece a inclusão financeira para toda a população.

Portanto, é esperado uma facilitação de comparação entre os produtos e serviços de instituições distintas.

Alguns bancos, já fazem o envio de brindes corporativos quando o cliente abre a conta. Visando proporcionar melhores experiências para a nova contratação bancária.

O que é Open Banking?

Open Banking ou sistema financeiro aberto, é uma possibilidade para que os clientes permitam o compartilhamento de suas informações entre as diferentes instituições bancárias, desde que sejam autorizadas pelo Banco Central.

Atualmente as instituições financeiras não aceitam, e dificultam o relacionamento de seus clientes com outras instituições.

Por outro lado, com o Open Banking, isso é totalmente possível, basta o dono da conta autorizar a conexão entre as plataformas.

Como o open banking funciona?

Após a liberação do cliente, os bancos poderão compartilhar as informações entre si. Para isso, será necessário confirmar com o cliente se ele realmente solicitou que seus dados fossem compartilhados.

Com a confirmação em nome do cliente, as instituições poderão compartilhar uma a outra o que for necessário.

Isso fará com que o correntista tenha acesso a outras possibilidades, decidindo qual a melhor instituição para sanar o problema.

Quais dados poderão ser compartilhados com o open banking?

No Brasil a previsão é de que o compartilhamento seja feito com os dados cadastrais, tipicamente usados para abertura de contas, como:

·        Nome;

·        CPF/CNPJ;

·        Telefone;

·        Endereço;

·        Informações sobre renda;

·        Faturamento (quando empresa);

·        Perfil de consumo;

·        Capacidade de compra;

·        Conta corrente.

Em suma, todos os dados pessoais e dados sobre produtos e serviços, no caso de empréstimos e financiamentos. Sempre com a breve autorização do cliente a fim de garantir a segurança da informação.

Vantagens do Open Banking

A princípio, o Open Banking afirma que os dados do consumidor são de sua propriedade e não das instituições financeiras a que está vinculado. Essa liberdade de escolha conta com algumas vantagens.

#1 Traz competitividade para o mercado

O Open Banking fará com que o sistema financeiro seja ainda mais competitivo. Afinal não existirá tantas barreiras e sim mais opções ao consumidor.

#2 Mais ofertas personalizadas

Uma vez que o banco terá acesso a todas as informações, será mais fácil ofertar produtos de acordo com cada perfil.

#3 Desenvolvimento da inovação

Permite que as instituições mudem junto às transformações digitais, facilitando a criação de serviços com mais qualidade, aumentando as inovações no mercado financeiro.

#4 Educação financeira

Irá auxiliar os consumidores durante a administração de seus rendimentos, prevenindo fraudes.

Qual a diferença entre Open Banking e Banco Digital?

Mesmo que com conceitos digitais, contam com diferenças.

A grosso modo, Bancos digitais compartilham informações internamente entre a plataforma e o time do próprio banco.

Já o Open Banking possibilita esse compartilhamento entre instituições distintas.

Enquanto bancos digitais não contam com um suporte presencial para os clientes, o Open Banking prioriza o contato com seus correntistas.

Fases de implementação do Open Banking no Brasil

O sistema será implementado no Brasil, através de 4 etapas durante todo ano de 2021.

Fase 1 – Dados institucionais

Iniciada em 02/2021, ainda não envolve o compartilhamento de dados dos clientes e sim das próprias instituições.

Fase 2 – Dados cadastrais e transacionais

A partir de 07/2021, será possível compartilhar entre as instituições dados cadastrais e transacionais ligados a pagamentos e cartões de crédito, autorizados pelo cliente.

Fase 3 – Indicação de pagamentos e propostas de crédito

Prevista para 08/2021, o cliente poderá fazer transações de pagamentos em diferentes instituições por um único aplicativo.

Fase 4 – Dados seguros, investimentos e câmbio

Compartilhamento de dados como câmbio e investimentos a partir de 12/2021.

Open Banking é seguro?

Serão utilizadas tecnologias asseguradas pelo Banco Central, o que torna o Open Banking seguro. A

Os dados dos clientes serão protegidos pela Lei de sigilo bancário e pela Lei de proteção de dados, que proíbe o compartilhamento de dados com pessoas não autorizadas.

Ademais, devido a LGPD, o cliente poderá solicitar o cancelamento dos seus dados do Open Banking. Assim, é garantido segurança e permissões pelos próprios usuários.
Por fim, promete ser a maior inovação entre as instituições bancárias. E você, pretende aderir ao Open Banking?

Compartilhe...

Deixe um comentário